Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PROSAS VADIAS

PROSAS VADIAS

27.Ago.10

Não sou ninguém.

 

nada que te diga
por hora
mudará
a cor do céu
a insônia inquieta
o movimento das marés
o vôo das borboletas e pássaros
... o rumo dos nossos passos trôpegos

contudo
houve um tempo
em que dizíamos
palavras de pintar o céu
da cor que nossa imaginação sonhasse
houve um tempo
em que as noites eram pequenas
para o brilho d’estrelas em nosso olhar
houve um tempo
em que o mar cabia em nossas lágrimas
e mesmo sem asas, voávamos com borboletas e pássaros

... houve um tempo

por hora, nada que te diga mudará
a cor do céu
a insônia inquieta
o movimento das marés
o vôo das borboletas e pássaros
... ind'assim
precisamos seguir
mesmo com passos trôpegos
ao invés de quedarmos
pelo que se foi

Batista Filho

Sábio o poeta que finge que não tem dor, quando a dor é maior que ele.

 

 

 

Foto: retirada daqui

 

Este blogue acaba aqui. Se algum dia voltarmos à blogoesfera, muitas coisas terão entretanto mudado. E este já não fará mais sentido. Obrigado pela vossa persistência, pela vossa paciência, pela vossa presença invísível, mas concreta.  

Carlos Freitas

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.