18
Out 08

 

 

 

 

A Figueira da Foz, a contas com uma plêiade de políticos de polichinelo,  resiste, apesar de tudo. Pergunto-me de que forma poderá resistir? Se plêiade de figuras figueirenses de relevo cultural e cívico preenchem os dedos de uma mão. No entanto é incomensurável a prodigiosa figura  e a obra de Joaquim de Carvalho. Hoje ao correr da pena do  Almocreve descobri notícias dessa prodigiosa resistência figueirense, a comemoração do cinquentenário do desaparecimento do homem Joaquim de Carvalho. A obra essa continua, viva e contemporânea. Muito contemporânea.

publicado por carlosfreitas às 16:17

Carlos Freitas Almeida Nunes
pesquisar
 
pesquisar
 
arquivos
RSS
blogs SAPO