Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

PROSAS VADIAS

PROSAS VADIAS

29.Nov.07

Há o mar...e mar e a...

Em maré de marcas registadas não poderia deixar passar esta em falso! Eis a marca registada mais conhecida da Figueira da Foz e arredores. Acreditem que não tenho pretensões a almoços ou jantares grátis! Sou fraco conhecedor dos meandros gourmet figueirenses. Em tempos quedava-me pelo Gato Preto, onde as sandes eram para trabalhadores, como glosava um dos variados e hilariantes cartazes que o dono colocava a esmo pelas paredes da então simpática taberna - hoje por inerência do progresso virou mais um salão de aço inoxidável - entre os quais um destes avisava, de forma delicada, os incautos fumadores que deviam dar largas ao seu vicio a 250 metros do local onde se encontravam, o que os colocava, mais metro menos metro, no centro do rio Mondego. Daí nunca ter frequentado o aristocrático Club de Ténnis, que o mais conhecido dos Sottomayor doou, em bons tempos, à sua cidade. Por isso se lá forem não digam que fui eu que os mandei. A Dona Rosa não me conhece de lado nenhum, eu até nem sou benfiquista e adoro almoçar ou jantar descansado e incógnito.
Nota: O título do texto é uma espécie de homenagem ao grande O'Neill. Sim, esse, que um dia inventou o "Há mar e mar... há ir e voltar". A Dona Rosa agradece!