24
Jan 14

Um dos assuntos aos quais uma política verdadeiramente liberal não se deve permitir é a mediatização de questões de indole cultural ou de cultura. Assuntos culturais, de cultura, merecem o recato nos gabinetes e dos decisores. A criação de uma "opinião pública" favorável à liberalização deste importante sector deve tornar exemplo o recente caso da "Fundação Côa", deve ser pois a resolução deste caso o paradigma a seguir, em futuras intervenções do Estado, na área cultural. Deve a Secretaria de Estado da Cultura, a exemplo da recente decisão do Governo de Portugal, de leiloar a "Colecção Miró", promover junto dos parceiros europeus e internacionais a abertura a capitais privados desta ou outras fundações portuguesas com elevado potencial de desenvolvimento e, deste modo, permitir a libertação de recursos financeiros para outras áreas, como a habitação social e assistencialismo. Tudo a bem da Nação, da Pátria.

 

 

 

publicado por carlosfreitas às 01:44

eXTReMe Tracker
Carlos Freitas Almeida Nunes
pesquisar
 
pesquisar
 
arquivos
RSS
blogs SAPO