07
Jan 14

 

Claus Hecking, no Der Spiegel (traduzido)

 

"Portugal oferece o que chama "visto de ouro" desde Outubro de 2012, mais de dois anos de residência em troca de um investimento imobiliário de pelo menos 500 mil euros."

 

 

A nova tendência nesta "Europa-de-ferro".

Recentemente em Portugal, um visto oferecia-se em troca de trabalho na construção civil e obras públicas. Nos países periféricos, (Letónia, Hungria, Espanha, Grécia, Portugal), onde se oferecem trabalhadores nacionais a meio-pataco, seguindo o "modelo letão" (onde foram  injectados cerca de 600 milhões no mercado imobiliário da Letônia) tentando deste modo salvar o que sobrou da "era de ouro" do mercado imobiliário de luxo ainda na posse dos bancos nacionais. Se conseguíssem tornar o país numa estância de férias de luxo, ou num paraíso tipo Ilhas Caimão, não nos poderíamos queixar muito, sempre andavamos de avental branco e toalha no braço. O problema é que emigrantes de luxo não irão ficar muito tempo, pois tal, como os primeiros, assim que a "crise" económica fez soar campainhas nestes Estados, desapareceram, como apareceram. sem deixar rasto, sendo que estes últimos, denominados como "emigrantes_gold", querem apenas chegar a França, à Alemanha... e entrar na Europa, via periferia, em troca de investimentos imobiliários nas depauperadas economias desses países, vitimas de um modelo austeritário imposto a partir dos líderes desta dita agora Nova Europa, uma velha dama, a tentar esconder as espondiloses.

publicado por carlosfreitas às 14:17

eXTReMe Tracker
Carlos Freitas Almeida Nunes
pesquisar
 
pesquisar
 
arquivos
RSS
blogs SAPO