04
Ago 10

 

 

A recente questão do fim dos chumbos, (como eu gosto da ironia da Joana Lopes) no ensino representa para muitos de nós a demonstração clara do esforço inglório de muitas gerações. Caminha-se, a passos largos, para, agora sim, o aparecimento de uma, ou várias G. R's. Os que acabam de sair estão "à rasca" para exercerem a sua profissão. Os que lá estão agora já saem do ensino rascas. Incompreensivelmente o esforço, o estudo e aprendizagem para toda a vida foram meros percalços das últimas gerações, encenação de propaganda folclórica do Estado português. Na realidade, reprovar não ajuda mesmo nada os alunos, sobretudo os que não estudam. Se fosse agora este escriba já teria feito o doutoramento há muito tempo. Há um ror de anos, não tivesse ele chumbado, por razões tão mesquinhas, mas tão mesquinhas, como ter  tido sempre boa notas, mas ser adolescente com vontade própria! Ora como as faltas existiam para ser utilizadas, eram utilizadas até ao ultimo ceitil, mas bastava pequena saída do normativo de então para lá vir processo, seguido obrigatóriamente de expulsão e como as faltas estavam todas utilizadas o respectivo chumbo de ano. Mesmo que as notas fossem boas! Foi assim mesmo, podem crer. Agora ter que aturar isto, eu, se fosse aos pais  deste país, com filhos em idade escolar, mandava  estar quietinha esta ministra. Talvez seja isso que ela deseja. Quem sabe? Mas talvez até muitos dos referidos estejam de acordo...Protanto...(como ecoa um conhecido cantor na moda) tais pais, tais filhos. É a lei da vida! Finalmente um ministro para nos facilitar a vidinha, já tão difícil. Ora bem. Agora entendo o apelo do P.M. feito em 2008. Já estava previsto. É que eu sou burro e não há nada a fazer.

 

G.R. = Geração Rasca

publicado por carlosfreitas às 20:03

eXTReMe Tracker
Carlos Freitas Almeida Nunes
pesquisar
 
pesquisar
 
arquivos
RSS
blogs SAPO