23
Fev 10

Ontem sobre o "Prós e Contras" :
a extraordinária informalidade de António Manuel Hespanha. A complexidade presente não impede de continuarmos a reconstituir e a estudar o passado e a realizar comparações. Na análise encontram-se momentos semelhantes ao presente e tal nunca impediu que não fossem encontradas soluções. Numa sociedade onde as marcas do Estado Novo ainda perduram, impedindo a democracia e a sociedade de respirarem saudavelmente, não poderíamos esperar que 30 e poucos anos bastassem para mudar o rumo mental do país. Repare-se na antiguidade do rotativismo político português e nas organizações (Maçonaria, Igreja, poder económico) que ainda não se ajustaram aos novos figurinos mentais e de comportamento.

publicado por carlosfreitas às 16:27

eXTReMe Tracker
Carlos Freitas Almeida Nunes
pesquisar
 
pesquisar
 
arquivos
RSS
blogs SAPO