16
Jan 10

 

Corria o Rotativismo monárquico...mais coisa, menos coisa...a imberbe burguesia nacional, nascida por entre as cinzas da velha, depauperada e absolutamente arruinada aristocracia, necessitada de reconhecimento, nascida urbana, mas com os dois pés assentes completamente na ruralidade, pedia para si medalhas, comendas e prebendas. Comprava. O dinheiro havia-lhe chegado por via de um grande negócio que foi a a "venda dos bens nacionais", ali, mais coisa , menos coisa, entre 1834 e 1843. Tentando, e conseguindo, substituir os antigos terratenentes irá copiar-lhes (para muito pior) os tiques e o estilo. O regime não se faria rogado. De tal modo que cresceu o dito "foge cão que te fazem barão. Para onde? Se me fazem conde!", tal o despautério das atribuições. A República, também ela, não fugiria aos tiques herdando, e reproduzindo, por sua vez, aquilo a que procurava, e em grande parte conseguiria, desmanchar. Aos cem anos dessa mesma República estou eu para aqui boquiaberto com semelhante desconchavo da Centenária.

publicado por carlosfreitas às 00:27

Não consigo deixar de sorrir, desde que ouvi a notícia...

Um abraço e Bom Ano

Pedro Macieira!
Pedro Macieira a 16 de Janeiro de 2010 às 02:05

A mim deixou-me boquaiberto! Mas tudo bem. Obrigado, após um começo um pouco atribulado, a coisa, o ano, recompõe-se. Fazendo e desejando igualmente os votos de um excelente ano para o Pedro.
carlosfreitas a 16 de Janeiro de 2010 às 07:59

eXTReMe Tracker
Carlos Freitas Almeida Nunes
pesquisar
 
pesquisar
 
arquivos
RSS
blogs SAPO