12
Mai 09

Isto é uma espécie de bloco central. Muito arranjadinho e portátil (única característica interessante, mas isso já o 24Horas havia feito uns dias antes, dai já não ser propriamente uma novidade) de resto o habitual jornalismo "à lá Augusto de Castro". Só falta o documentário "Como se faz um número do Diário de Notícias" (1929), desculpem, queria dizer o I de 2008, assente no desenvolvimento da ideia de um Portugal moderno que se pretende generalizar pela via do jornal como se este ainda fosse o meio adequado para que os portugueses se revejam na mesma actualidade. Mas tirando este os outros não o são menos herdeiros dessa pretensão. A cada candeia a sua luz bruxuleante. De um jornal só pretendo informação, investigação. Descodificar a realidade deve ser um trabalho pessoal. A jovem jornalista portuguesa, morta na Somália merecia melhores jornais e melhores colegas portugueses. Mas a quem dá o pão...lá voltamos ao mesmo e ainda falam de liberdade.

A foto do i está aquI

publicado por carlosfreitas às 11:35

eXTReMe Tracker
Carlos Freitas Almeida Nunes
pesquisar
 
pesquisar
 
arquivos
RSS
blogs SAPO