11
Abr 09

"Não posso deixar em silêncio a exorbitante despesa que nesse mosteiro se pratica na Semana Santa, por uma estranha folice, sem advertir que Deus nosso senhor não quer maiores cultos das criaturas mais do que aqueles que são possíveis e justos e não outros de que resultam injustas retenções de dinheiro e necessidades nas religiosas desse mosteiro que servem muitas vezes de motivo a prostituições e infracções das leis do mesmo"(#)

 

Carta atribuída a Frei João de Mansilha, que fora nomeado pelo Marquês de Pombal, Vigário Visitador Provincial da Ordem Dos Pregadores e reformador dos hábitos dominicanos, que por mor destes feitos foi mandado encarcerar por Maria I a 1 de Março de 1777, e dirigida à Reverenda Madre Prioresa do Mosteiro do Paraíso de Évora. Este convento, hoje inexistente, por entretanto ter sido demolido, era mui conhecido pelos doces ali confeccionados pelas freiras, que por razões, o que não deixando de ser boa razão para servir a Deus, também o era para servir aos homens, era admoestado, pelo dito frade, de se dedicar ao pecado da gula esquivando-se de colocar em prática outros pecados durante a semana pascal.

 

# A História Escandalosa dos Conventos da ordem de S. Domingos em Portugal 1774/1776, Lisboa, Vega, 1983, p. 81.

publicado por carlosfreitas às 11:40
tags:

eXTReMe Tracker
Carlos Freitas Almeida Nunes
pesquisar
 
pesquisar
 
arquivos
RSS
blogs SAPO