29
Mar 09

Neste país onde uns quantos querem fazer morrer a memória, tem por costume encerrar velhas linhas férreas, cheios de ademanes modernistas. Bacocos e prosélitos destes observem bem como através de um simples "clic" de rato podeis observar gentes que já existiram num tempo em que vós nem existieis. Janela aberta ao passado, sem nostalgia, apenas recado às gentes de hoje. Preservar não é bem o mesmo que destruir, apagar. Que fique claro.

 

 

 

publicado por carlosfreitas às 12:00

eXTReMe Tracker
Carlos Freitas Almeida Nunes
pesquisar
 
pesquisar
 
arquivos
RSS
blogs SAPO