06
Mar 09

 

Ele é o homem do Cais

 

Na antiga centralidade da cidade, também as personagens  que povoavam o seu quotidiano partiram para outras paragens. As artérias do antigo pulsar não perdem apenas especificidades, raras, difíceis de encontrar nos grandes conglomerados comerciais, perdem igualmente a identidade. A das gentes que sulcavam todos os dias, marcando com os seus passos, o ritmo da velha zona central.

 

publicado por carlosfreitas às 22:24

eXTReMe Tracker
Carlos Freitas Almeida Nunes
pesquisar
 
pesquisar
 
arquivos
RSS
blogs SAPO