17
Jan 09

 A secular arte resiste através da fusão entre as duas mais antigas empresas nacionais, a Ach.Brito e a Confiança. A aposta num produto que, embora actualmente incorpore alguma tecnologia de ponta, mantém o seu "ar do tempo" , os rótulos antigos, alguns ainda pintados nas próprias litografias, como sucede na fábrica Confiança, logótipos e odores que atravessaram o último século. Daí que, em tempos de crise na economia, seja boa notícia a recuperação e manutenção destas marcas e produtos. Num tempo cuja produção assenta no ritmo frenético de fabrico, imposto pelo mercado, sabe bem olhar para os produtos da saboaria secular portuguesa. Enquanto, por cá, o mercado se confinava a alguns apreciadores e cultores, o resto do mundo salvou este nicho de produção nacional. Questão de preserverança e "savoir faire". Questão de bom gosto.

publicado por carlosfreitas às 16:40

eXTReMe Tracker
Carlos Freitas Almeida Nunes
pesquisar
 
pesquisar
 
arquivos
RSS
blogs SAPO