14
Set 08

 

Foto pertence a João Viana. Autor que em diversas ocasiões temos vindo a referenciar em virtude da sua actividade como fotógrafo de embarcações marítimas, trabalho que, com esta fotografia, nos cativou para relembrar a necessidade de preservação do património com valor histórico. Fortemente marcada pela raridade, a foto mostra a lancha-piloteira "Coutinho Garrido" à saída da barra da Figueira da Foz. O seu nome de baptismo está ligado ao oficial da Marinha Portuguesa, José da Motta Coutinho Garrido, Comandante do Porto da Figueira da Foz, entre 1936 e 1941. Em conjunto com o seu desaparecimento, sobre o qual possuimos poucos dados, outras embarcações, que tinham por missão acompanhar as manobras de entrada e saída de embarcações na barra da Figueira, tem sido recentemente destruídas. Recorda-mos as lanchas "Almeida e Brito" e "Ruache", cujo estado de abandono, a que foram sucessivamente votadas, teve como solução última o seu desmantelamento para sucata. Condição que resultou da incúria e da pouca sensibilidade existente para a necessidade (diria urgente) de preservar algum deste património, cujo desaparecimento deixa mais pobre as memórias históricas de uma cidade marítima. Dai que façamos igualmente eco para o alerta lançado em Leixões para que se preserve algum deste património ligado  ás actividades marítimas naquele Porto e lançado em Março do corrente ano. Ora o que parece aparentemente difícil:

não é. Este exemplo de conservação de embarcações marítimas podia ser ser visto no Funchal, em 2006.

publicado por carlosfreitas às 21:24

eXTReMe Tracker
Carlos Freitas Almeida Nunes
pesquisar
 
pesquisar
 
arquivos
RSS
blogs SAPO