26
Ago 08

 

 

 

Depois deste "post" delicioso sobre a "cansominhas", eis que chega  da Argentina a "estória" da cadela "China". Nela se nota a ausência, cada vez mais notória, do humano entre aqueles que se apelidam enquanto tal. A "China" demonstra como é que alguns seres humanos jamais conseguirão ser animais, sendo por isso que muitos se assemelham a bestas. E besta não é animal. É humano com duas patas mas sem mais nada. Vazio. Oco. Com duas patas e na posição vertical. Na posição vertical, as patas, porque éticamente e moralmente arrasta-se ao nível do chão. Assim vai o mundo.

publicado por carlosfreitas às 06:04

Mais rapidamente confio num animal que num ser humano. Até mesmo que não perceba o que ele me transmite o meu coração tende a confiar.
D.H.F a 8 de Setembro de 2008 às 20:33

Gosto do teu coração.
carlosfreitas a 11 de Setembro de 2008 às 13:50

eXTReMe Tracker
Carlos Freitas Almeida Nunes
pesquisar
 
pesquisar
 
arquivos
RSS
blogs SAPO