19
Ago 08

 

 

 

 

 

 

Há algum tempo dei por mim a tentar perceber porque anda por aí tanta gente a rematar o principio, o meio ou o fim de qualquer frase que lhes sai da boca com um chorilho de "de todo".

É "de todo" por tudo e por nada. 

Dei por mim a tentar entender o significado deste inicio, meio e remate de qulaquer dito, tão usual nos dias de hoje.

Disseram-me que começara por ser utilizado entre os pseudo aristocratas e figuras desse cabaret rasco representado entre a pseudo "sociedade" do faz de conta e que, agora, se havia disseminado entre o povinho. Hábitos que vem de cima. Distinguem. Percebi.

De todo.

Irra, que já é demais.

A foto foi sacada aqui. Neste local de prazeres estranhos.

publicado por carlosfreitas às 22:05

Cada um opina cada um com a sua mania. E será sempre assim
Diogo a 3 de Setembro de 2008 às 06:59

De todo.
carlosfreitas a 3 de Setembro de 2008 às 18:26

eXTReMe Tracker
Carlos Freitas Almeida Nunes
pesquisar
 
pesquisar
 
arquivos
RSS
blogs SAPO