15
Jun 08

Atarefado neste último sábado não deu para ler uma notícia que fosse verdadeiramente notícia. Tirando a de que andam por aí uns colunistas de jornais a reciclar artigos, assim para o antigo, e a republica-los como se fossem novos, nada me demoveu da minha ladina gazeta ao diário virtual. Mas. Ele existe sempre um mas...a ERSE ( essa nobre entidade) deitou cá para fora uma pérola inolvidável.  Obrigou-me a vir aqui apreciar este conjunto de objectivos interessantes. Ora vamos ler : "Electricidade. Até agora, EDP tinha de assumir a totalidade dos custos com as dívidas incobráveis. A situação vai mudar a partir de 2009. Os consumidores vão partilhar este risco com a eléctrica. Em causa estão valores entre 0,2% a 0,3% da facturação total. Em 2007, foram 12,5 milhões de euros." Dei por mim a caminho de umas urgências modernas, fora do sistema nacional de saúde, pois este está completamente fora da moda, obsoleto queria eu dizer. Realmente a última vez que a EDP partilhou os lucros da empresa foi aquando do último aumento. Fora disso não me recordo de mais nada. Leia-se o resto da informação mas desde que se disponha de hospício, daqueles à moda antiga, com choques eléctricos e tudo, por perto. Como remédio para o problema a EDP, que alega que os incobráveis, que até agora assegurava, quantia ínfima da sua actividade como refere, passaram, na nova terminologia da empresa, a parcela denominada "custo do sistema", dai que tenham e devam ser suportados pelos consumidores finais. Aqui pasmei. Proponho assim que deixemos de pagar a electricidade, sendo a nossa dívida paga por todos os outros consumidores.

Já me havia acontecido ser confrontado, no momento de pedir ligação para o meu apartamento, que teria de liquidar a importância do último inquilino, ainda em falta na EDP. Ora, como não conhecia as pessoas de lado nenhum, resolvi que nada tinha que pagar, e não paguei, dado que aleguei, facto confirmado pela EDP, de que eu nada devia, dai ninguém me puder negar o serviço mediante uma imposição daquelas. Não era eu devedor porque haveria de pagar a dívida de um desconhecido? Bem, mas (ele existe sempre um), vem agora uma autoridade estatal providenciar que sejamos todos a pagar os incobráveis da EDP. Está bem, ABELHA?

 

Já depois de publicado deparei-me com outro post sobre o assunto num blog que também se sentiu assaltado pela EDP.

publicado por carlosfreitas às 15:29
tags: ,

Bom esse tá bem Abelha, tem alguma coisa a ver com a minha colmeia???? É que é engraçado eu também passei por uma igual, e só quando o meu marido, ou o meu esponjo como ele hoje me disse que gosta mais de ser tratado, disse ao Sr. EDP que só não passaria o Natal debaixo da ponte porque o Mondego ia muito cheio, mas passariamos nas margens, é que o assunto foi resolvido e a luz ligada antes do menino nascer.
Uma ferroadela
Abelhaferrona
Abelhaferrona a 16 de Junho de 2008 às 21:42

Obrigada Abelha por te lembrares de velhas histórias que constroem os nossos dias.
carlosfreitas a 17 de Junho de 2008 às 14:03

eXTReMe Tracker
Carlos Freitas Almeida Nunes
pesquisar
 
pesquisar
 
arquivos
RSS
blogs SAPO